O valor de uma correção

Olá irmãos! E a família? Como vai?

Hoje neste texto familiar queria começar com um pedido de desculpa, que foi fruto de uma correção. Nos últimos textos, tenho escrito no meu tablet pois o meu computador esta quase quebrado, e por conseguinte, algumas palavras ficam com a digitação equivocada, perdendo até mesmo o sentido da idéia. E na pressa do dia, esqueço de mandar um texto para o processo de correção. Me perdoem! Serei mais cuidadoso daqui para frente com medidas para evitar que isso se repita. Mais uma vez, perdão e oro para que a mensagem não tenha se perdido!

Mas sabe como eu descobri isso? Pois alguém com todo amor e carinho me corrigiu! Sim! O erro foi apontado não com nenhum intento de me prejudicar, mas o exato oposto, de me ajudar a melhorar ainda mais! E ao ler tal, confesso que fiquei feliz e refletindo como seria bom se todos nós colocássemos em prática tal lição. Especialmente no âmbito familiar.

É fácil, por exemplo um pai corrigir um filho, pois este tem autoridade sobre ele, a correção não só é permitida como ela é esperada. Mas e um filho corrigir o pai? Não estou dizendo em termos de correção física(tema este que será abordado brevemente), mas de chegar para um pai e falar, o senhor errou. Num primeiro momento, o pai pode se sentir insultado, pois foi admoestado por um “inferior”, todavia, um “inferior” que do mesmo jeito, o ama incondicionalmente, e como a correção do para um filho, visa o bem.

Isso nos ensina até mesmo a controlar e rever o nosso orgulho, valores, o senso de que como corretores somos aparentemente infalíveis, ignorando as amorosas correções dadas por nosso filhos, esposas, amigos. Ouvir que erramos, nos deve fazer lembrar ainda mais daquele que mesmo sem ter errado ou pecado nos corrigiu de forma inexplicável, em uma cruz maldita, onde ali ele tomou uma correção dura, sofreu o inferno no nosso lugar, para que agora, por tudo isso que Cristo fez, as correções fossem feitas com amor, mesmo que sejam firmes e as vezes, dolorosa.

O propósito da correção sempre deve ser apontar o nosso erro, para que possamos mudar. Cristo não só apontou o nosso erro como mudou o nosso viver, portanto, ouvir conselhos daqueles que estão em Cristo, seja pai, filho, pastor, ovelha, deve ser um exercício constante e feito com este amor que nos constrange.

Portanto, você que em amor me corrigiu, obrigado, de coração, por fazer lembrar de verdades preciosas e compartilhar ela agora com mais famílias ainda por em práticas.

Em Cristo e grato,

Pr. Léo

——
Texto extraído do Boletim Semanal “E a Família? Como Vai?” do dia 6/9/12

Sobre Ovelha

Visite: 1) http://facebook.com/ipjoquei 2) http://ipjoquei.4shared.com 3) http://facebook.com/umpjoquei 4) http://youtube.com/umpjoquei 5) http://www.ipjoquei.com.br
Esse post foi publicado em E a Família? Como Vai?, Pr. Leonardo, Textos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s